Vozes do Rosário

Na região de Brumadinho existem diversos grupos que mantêm vivas as tradições do Reinado e do Congado, manifestações culturais e religiosas afro-brasileiras. Somente no município existem sete grupos de Congo e Moçambique, situados nas comunidades quilombolas de Marinhos, Sape, Ribeirão e Rodrigues, nos distritos de Aranhas, Piedade do Paraopeba e Córrego Ferreira, e no bairro Santa Efigênia, região central de Brumadinho. Todas essas comunidades foram afetadas pelo rompimento da barragem da Vale.

Nas tradições de matrizes africanas, como Congado e Reinado, todo o ensinamento ocorre por oralidade, fato este responsável pela perda de diversos aspectos característicos da tradição, como cantos em dialeto iorubá e confecção de utensílios utilizados pelos capitães.

A proposta consiste na realização de oficinas, inicialmente direcionadas aos membros das guardas de Brumadinho e, posteriormente, abertas ao público em geral. Serão realizados cinco encontros, sempre às segundas-feiras, com duração de 4h cada um. A ideia inicial é incentivar a participação do público feminino das guardas, parte importante para manutenção e fortalecimento da tradição.
As oficinas serão ministradas pela jovem capitã de Moçambique Deise, moradora da região de Aranhas, distrito rural de Bumadinho. Ela domina a técnica de confecção de chapéus, além de conhecer cantigas em iorubá e rezas comuns entre os congadeiros. Oriunda do quilombo de Belo Vale, infelizmente devido à sua orientação sexual e ao desespero que afeta os moradores da região, Deise foi proibida de exercer sua função de capitã da dança, e foi retirada da irmandade.

Portanto, o intuito dessa proposta é fazer um resgate dessa antiga tradição, associada ao resgate da autoestima de Deise. “Vozes do Rosário” pretende unificar e restabelecer a confiança perdida devido a diversos problemas que assolam a região e os corações de todos os congadeiros de Brumadinho.

Quem é o proponente:

Aldo César da Silva é natural de Brumadinho, nascido em comunidade quilombola da região. Atualmente, preside o Conselho de Promoção da Igualdade Racial de Brumadinho, e é vice-presidente e capitão regente da Guarda de Moçambique de N.Sra. do Rosário. Bacharel em música pela UFMG, mestre em Ensino das Práticas Musicais pela UNIRIO, cursou também o Técnico Avançado para tuba da EMESP. É Tuba solo da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e professor da Casa de Acolhimento Luz da Eternidade, em Brumadinho, e da Banda Municipal de Sarzedo.

Valor do aporte: R$ 1.735,00

O que mais precisa além do dinheiro
Valorização e apoio do poder público municipal e estadual para preservação dessa rica tradição, que se perde por falta de apoio dessas esferas. Capacitar e auxiliar a Guarda na elaboração de projeto para sua autossustentação.

Funded by Brumadinho (August 2019)